Que Deus permita que eu não perca o romantismo,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que Deus permita que eu não perca o otimismo,
mesmo sabendo que o futuro que nos espera não é assim tão alegre;

Que Deus Permita que eu não perca a vontade de viver,
mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos, dolorosa;

Que Deus permita que eu não perca a vontade de ter grandes amigos,
mesmo sabendo que com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas;

Que Deus permita que eu não perca a vontade de ajudar as pessoas,
mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver, reconhecer e retribuir esta ajuda;

Que Deus permita que eu não perca o equilíbrio,
mesmo sabendo que inúmeras forças querem que eu caia;

Que Deus permita que eu não perca a vontade de amar,
mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim;

Que Deus permita que eu não perca a luz e o brilho no olhar,
mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão meus olhos;

Que Deus permita que eu não perca a garra,
mesmo sabendo que a derrota e a perda são dois adversários extremamente poderosos;

Que Deus permita que eu não perca a razão,
mesmo sabendo que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas;

Que Deus permita que eu não perca o sentimento de justiça,
mesmo sabendo que o prejudicado possa ser eu;

Que Deus permita que eu não perca o meu forte abraço,
mesmo sabendo que um dia meus braços estarão fracos;

Que Deus permita que eu não perca a beleza e a alegria de ver,
mesmo sabendo que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma;

Que Deus permita que eu não perca o amor por minha família,
mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigirá esforços incríveis para manter sua harmonia;

Que Deus permita que eu não perca a vontade de doar este enorme amor que existe em meu coração,
mesmo sabendo que muitas vezes ele será subestimado e até rejeitado;

Que Deus permita que eu não perca a vontade de ser grande;
mesmo sabendo que o mundo é pequeno.

E acima de tudo... Permita que eu jamais me esqueça de que Deus me ama infinitamente, de que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois a vida é construída nos sonhos e concretizada no amor.

(Francisco Cândido Xavier)

domingo, 9 de setembro de 2012

EU SOU O CAMINHO...

   

De Ânimo Inquebrantável


Em teu compromisso pessoal de renovação contínua com Jesus, precata-te contra os fatores circunstanciais, sutis e perigosos que se te insinuam, transformando-se, posteriormente, em teus algozes impiedosos.
O ácido da ingratidão, o fel da amargura demorada, o vinagre da revolta constante, a truculência da rebeldia, a sombra da dúvida, a lâmina da maledicência, o veneno da ira, o azinhavre da preguiça e todo um cortejo que lentamente penetra, domina as engrenagens do teu labor, emperrando a máquina das tuas aspirações e sitiando-te no canto escuro do ceticismo ou no poço fundo da soledade.
Em lugar deles, deixa que se te instalem o labor exaustivo pelo bem, o aroma da esperança nas ações, o óleo do otimismo nas peças enferrujadas pela decepção, a chama da alegria em toda a atividade, a presença da tolerância na luta, o amplexo da fraternidade autêntica junto aos demais, a paz da paciência e o tempero do bom humor, de forma estimulante para os momentos asados em que os problemas pareçam ameaçar consumir-te.
Não faltam os conspiradores da paz nos arraiais do nosso bom viver.
Pululam, entretanto, também, os estímulos da santificação quando nos voltamos para as esferas da luz.
Fitando o sol e deixando-te por ele deslumbrar, é natural que nem sempre te detenhas no solo e os teus pés sejam feridos, agredidos pela urze e pelo pedrouço que terás de calcar. Não obstante, ao atingires o planalto que te deslumbra, à frente, donde poderás vislumbrar os horizontes sem fim da plenitude da vida, serão de somenos importância os óbices vencidos, que ficaram para trás, os problemas superados que deixaste à margem.
Cada alma, porém, segue até onde pode. Não sejas daqueles que coletam mágoas, que desertam, que desconfiam, que ruminam desesperos íntimos, que modificam a estrutura de fatos ao prazer do desequilíbrio interior...
Filho da luz divina, marchando na direção do Pai, deixa as bagas de amor como gotas de orvalho e de carinho pelos caminhos percorridos, porque o homem será sempre, hoje ou mais tarde, o que se faça de si mesmo.
Forte, deverá vencer as paixões; fraco, deverá fortalecer-se em Cristo para a vitória de si mesmo.
E entregando-te em clima de total confiança a Deus triunfarás, porque tal é a meta que a todos nós está destinada.
(Franco, Divaldo P. Leis Morais da Vida . Pelo Espírito Joanna de Ângelis, 10a. Edição, Salvador, BA, Livraria Espírita Alvorada Editora, 2000, capítulo 47.)